Lançamentos de livros que me deixaram babando #1

Sabe aquele desejo que a gente tem por chocolate, que nos faz até sonhar com uma fonte só nossa que despeja doce infinitamente?! Difícil resistir, né?! Pois é, comigo o amor funciona assim tanto para livros quanto para chocolate!!

Como sempre olho os sites das editoras para ver o que estão lançando de interessante, resolvi compartilhar com vocês seis livros que podem te deixar com muita vontade de ler.

 

  • Mitologia Nórdica, Neil Gaiman

A mitologia nórdica serviu várias vezes de inspiração para Neil Gaiman criar suas histórias em quadrinhos, como SandmanDeuses Americanos. Para desenvolver a obra, o autor resolveu pesquisar a fundo os mitos escandinavos e reescreveu quinze deles, cujas histórias relatam desde a origem do mundo até o Ragnarök, que é conhecido como o apocalipse.

Eu me empenhei ao máximo para manter os mitos o mais próximos possível do original, e para recontá-los da forma mais interessante que consegui. […] Quando terminei de escrever estas histórias e as li em sequência, fiquei surpreso ao descobrir que elas pareciam uma jornada, indo do gelo e do fogo que originaram o universo até o fogo e o gelo do fim do mundo. Pelo caminho, encontramos justamente o tipo de gente que encontraríamos se tivéssemos vivido essa jornada, gente que gostaríamos de conhecer melhor.

-Neil Gaiman

Como boa amante de Vikings (se você ainda não assistiu essa série, corra para o Netflix!!) e da escandinávia, esse livro não podia ficar fora da lista.

  • O Teatro de Sabbath, Philip Roth

Sim, vamos falar sobre literatura erótica! “O Teatro de Sabbath” é considerado um clássico da literatura contemporânea por explorar os limites da sexualidade ao mesmo tempo que traz à tona várias questões humanas sobre erotismo, crise existencial, morte e adultério.

O livro conta a história de um senhor de 64 anos chamado Sabbath que, após anos trabalhando como ator de fantoches, montou seu próprio negócio, o “Teatro Indecente de Manhattan”. Sabbath é casado mas tem vários casos extraconjugais, sendo que um deles existe há mais de dez anos. Esperto, usava seu teatro como uma forma de atrair e seduzir mulheres com as palavras certas. Simplesmente fiquei muito curiosa para saber o que é que esse homem apronta!!

  • O Bazar dos Sonhos Ruins, Stephen King

Esse livro traz vários contos inéditos do “mestre do terror” que falam sobre temas como moralidade, vida após a morte, culpa, erros que não cometeríamos se pudéssemos voltar no tempo, e até pessoas que descobrem superpoderes. Cada conto é iniciado com comentários do autor sobre o contexto que o levou a escrever cada uma das histórias.

Confesso que sempre tive receio de ler livros de terror e, por isso, não lia King… até que li Sobre a Escrita – que, diferente dos demais, é um livro sobre o ato de escrever, e ME APAIXONEI a ponto de admirar tanto, mas tanto esse autor a ponto de querer ler tudo dele. Recomendo de olhos fechados!

  • Clarice, Benjamin Moser

Bem, eu amo Clarice Lispector e não sei dizer se mais pela sua história de vida ou se pelos seus textos. Resumindo brevemente, Clarice era judia nascida na Ucrânia; sua mãe foi estuprada e contraiu sífilis, e a autora nasceu e cresceu sob a crença popular de que a gravidez tinha o poder de cura sobre essa doença; após a Revolução Russa, a família de Clarice perdeu tudo e veio para o Brasil como imigrante; estudou direito, foi jornalista consagrada e uma das maiores escritoras do modernismo brasileiro em uma época em que as mulheres eram pouco influentes no mercado de trabalho. Certeza que os detalhes da vida da autora devem ser simplesmente fascinantes *.*

  • As Primeiras Quinze Vidas de Harry August, Catherine Webb

…para mim, saber de antemão o que vai acontecer era pior do que o acontecimento em si.

– Harry August

A personagem principal desse livro, Harry August, está no leito de morte pela décima primeira vez. A cada vez que ele morre, volta a ser criança e tem lembranças de todas as vidas que já viveu. Perto da sua próxima morte, uma menina de sete anos avisa Harry que o mundo está  acabando, porém de uma forma acelerada, e que ele precisa enviar uma mensagem para o passado e tentar salvar o futuro.

Por mais que tenha um ar de “De Volta Para o Futuro”, esse livro me passa a impressão de que traz mensagens valiosas para refletirmos em várias idades da vida, já que Harry viveu quinze vezes e cada ciclo de vida deve ter acontecido de forma diferente. Como adooro livros cheios de experiências de vida, acho que essa obra é uma boa pedida.

  • Alfabeto da Sociedade Desorientada, Domenico de Masi

Quando li a descrição desse livro, fiquei de boca aberta. A proposta de Domenico nessa obra foi a de trazer os significados e valores que 26 palavras tinham no passado e o quanto eles influenciaram o modo como pensamos a vida atualmente. Além de formar um retrato do nosso presente, o autor propõe que a gente dê novos significados a essas maneiras de pensar.

Você pode ter achado o tema viajado, mas te convido a ler alguns trechos que tirei da introdução:

Os funcionários não funcionam. Os políticos falam mas não dizem. Os eleitores votam mas não escolhem. Os meios de informação desinformam. Os centros de ensino ensinam a não aprender. Os juízes condenam as vítimas. Os militares estão em guerra contra seus compatriotas. Os policiais não combatem os crimes porque estão ocupados demais em cometê-los. As perdas se socializam, os rendimentos se privatizam. O dinheiro é mais livre do que as pessoas. As pessoas estão a serviço das coisas.

– Descrição de Eduardo Galeano sobre o nosso sistema

A riqueza total do planeta cresce três ou quatro pontos ao ano; o número de Estados democráticos quase ultrapassou o dos regimes autoritários; a média de vida se alongou em toda parte, e em toda parte a medicina tornou um pouco mais suportáveis as enfermidades e a velhice; de ano em ano as tecnologias nos fornecem instrumentos cada vez mais eficazes para não esquecermos, não nos isolarmos, não nos perdermos, não ignorarmos, não nos entediarmos, não nos descuidarmos. No entanto, cresce uma inquietação dividida entre passividade e angústia.

Domenico de Masi

É, gente…  alguém consegue dizer que tudo isso é mentira?!

 

Deixe o seu comentário aqui